"MENSAGEM DE NATAL" 

Regozijamo-nos com toda a cristandade nesta época abençoada do ano, quando nossos pensamentos se voltam para aquele cujo nascimento celebramos, Jesus Cristo, o Filho de Deus. Nós o amamos, nós o louvamos e convidamos todos a virem a Ele. 

Somente ele foi perfeito e, para fazer a vontade do Pai, expiou os pecados de outros. Não é de causar espanto que, quando nasceu, os anjos tenham cantado, uma nova estrela tenha surgido, e os profetas se tenham alegrado. Seu evangelho é uma mensagem de amor. 

Foi ele que, com grande amor e compaixão, nos deixou esta bênção confortadora: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou: não vo-la dou como o mundo dá. Não se turbe o vosso coração nem se atemorize” (João 14:27) 

A época de Natal é movimentada. Ruas e lojas ficam apinhadas de gente fazendo preparativos de ultima hora. O numero de viajantes nas estradas aumenta, os aeroportos ficam abarrotados – toda a Cristandade parece animar-se com a musica, luzes e decorações festivas. Arvores de Natal, bolos e troca de presentes são todos parte da comemoração, mas o verdadeiro Natal está num plano muito mais profundo. Está na vida e missão do Mestre, nos princípios que Ele ensinou, no Seu sacrifício expiatório. 

Cristo não é somente um personagem histórico, mas o Salvador de todos os homens, em todas as eras. Se abrirmos a porta, Ele entrará. O Príncipe da Paz deseja conceder-nos paz de espírito, o que pode também nos ajudar a ser pacificadores. 

Se desejardes encontrar o verdadeiro espírito do Natal e partilhar de sua doçura, buscai tempo, durante a correria desta época, para voltardes o coração a Deus. Talvez em um momento calmo, num lugar calmo, de joelhos – sós ou com entes queridos – daí graças pelas boas coisas que vos tem acontecido e pedi-Lhe que Seu espírito habite em vós, enquanto honestamente procurais servir a Ele e guardar Seus mandamentos. Ele vos tomará pela mão e Suas promessas cumprir-se-ão. 

Mais cedo ou mais tarde – e esperamos que seja mais cedo do que mais tarde – todos admitirão que o caminho de Cristo não é somente o caminho certo, mas, essencialmente, o único caminho para a esperança e alegria. Todo joelho se curvará e toda língua confessará que a gentileza é melhor que a brutalidade, que a bondade é melhor que a força. Sempre que possível, devemos tornar-nos mais semelhantes a Ele. 

Em cada um de nós há, na época do Natal, uma recordação de nossa infância. Todos apreciamos a alegria do Natal – de dar e receber presentes embrulhados em papéis coloridos, de cantar nossas canções de Natal prediletas, de comer os pratos típicos de que nem sentimos falta em outras épocas, de nos reunirmos com a família e amigos, de realmente nos divertirmos. 

Há, porém, algo mais, algo melhor: sentarmo-nos juntos, em família, e lermos novamente a fascinante historia do nascimento de Jesus que nasceu em Belém, na Judéia. É uma história magnífica contada em linguagem simples e bela pelos autores dos evangelhos de Mateus e Lucas. 

Todos escutamos essas historias desde muito pequenos. Elas fazem parte de nossa vida, uma parte importantíssima. Toda criança, certamente toda criança considerada cristã, deve conhecer e apreciar a história de nosso Salvador, o Filho de Deus, que veio a Terra e morreu por nós. 

A época de Natal esta só começando. Há tempo para cada um de nós demonstrar amor e ajudar outras pessoas cuja vida podemos abençoar, mesmo que seja com um pequeno toque. Este é o tempo de nos resolvermos a fazer isso. 

O Presidente Hincley disse: “O Natal é mais do que arvores e luzes que piscam, mais do que brinquedos e presentes e enfeites de centenas de tipos... O Natal é amor. É o amor do Filho de Deus por toda a humanidade. Um amor cuja influencia excede nosso poder de compreensão. Um amor magnânimo e belo. Natal é paz. É a paz que consola, que ampara, que abençoa a todos os que a aceitam. Natal é fé. É a fé em Deus e em Seu Filho Eterno. É fé em Suas mensagens e Seus caminhos maravilhosos. É fé em Jesus Cristo como nosso Redentor e Senhor... esta época traz à memória dos cristãos de todo o mundo, o dom de amor do Salvador, uma dádiva redentora preparada para todos os que desejarem recebe-la.” 

Que possamos nos lembrar, sempre, o que é o Natal, e praticá-lo, não só, nestes momentos, ou nessa época do ano, mas sim, em toda a nossa vida. 

“Pois um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Poderoso Deus, Pai Eterno, Príncipe da Paz.” (2 Néfi 19:6)